Valores

A maneira curiosa como as crianças raciocinam


As crianças nunca param de nos surpreender. Em um daqueles conversas sem importância que você tem ao sair da escola com seu filho, perguntei a uma de minhas filhas:

- Querida, você cantou hoje no palco da escola?
- Sim, tomei aquela coisa para que todos possam ouvi-lo bem.
- O microfone? - Eu respondo.
- Sim, isso! a tucrphone - Ela me responde com toda a lógica do mundo.

E é que as crianças costumam mostrar um lógica esmagadora que nos faz rir alto e que nos surpreende com seu raciocínio.

Seu cérebro cresce a uma velocidade tão estonteante que eles mal têm tempo de assimilar certos conceitos e, claro, eles os liberam em qualquer situação, daí eles surgem reflexões curiosas que muitas vezes nos fazem cambalear pela criatividade, pela ocorrência e até pela lógica.

As crianças têm uma forma diferente de processar informações, que não se parece em nada com a dos adultos. Nós explicamos o maneira curiosa que as crianças raciocinam.

Nem todas as crianças evoluem ao mesmo tempo, a maturidade do seu raciocínio depende de muitos fatores, mas todas seguem o mesmo mesmo processo de raciocínio.

existir 4 etapas diferenciado de raciocínio de acordo com a idade da criança:

1- A primeira etapa ocorre entre nascimento e dois anos, e nele os sentidos têm especial relevância. Através da audição, paladar, tato, olfato e visão, o bebê começa a interagir. Comece a desenvolver o seu reflexos antes dos estímulos mais primários, e ver a necessidade de interagir com os adultos para conseguir o que desejam, é assim que começam os primeiros raciocínio lógico, que tem mais a ver com o espaço que ocupa, a reação de causa e efeito, por exemplo: “se eu chorar, eles me alimentam”, e suas primeiras palavras.

2- De 2 a 7 anos. É a hora de e por quê ...? O menino tenta coletar todas as informações possível sobre o que está ao seu redor, ele faz milhares de perguntas, começa a ter uma leve noção de tempo e espaço e começa a elaborar seus primeiros pensamentos. É nessa fase que surgem esses pensamentos espontâneos e divertidos, pois a criança recebe as informações mas ainda não sabe como processá-las adequadamente.

Nesse período ele não é capaz de fazer muitas reflexões, não se interessa por respostas lógicas porque ele não os entende em sua totalidade, ele procura apenas declarações simples sobre o que o cerca.

Durante esses anos, o raciocínio verbal e numérico se desenvolve e, portanto, devemos encorajá-lo tanto quanto possível.

3- De 7 a 11 anos surgem os primeiros raciocínios lógicos. Agora ele sabe como lidar melhor com as informações coletadas durante seus primeiros anos e está substituindo a fantasia por operações lógicas. É curioso que durante esses anos a criança não seja capaz de distinguir os pontos intermediários, nem as nuances, mas sim tudo é preto ou branco.

4- 11 a 12 anos o raciocínio lógico e abstrato começa. Eles são capazes de pensar fora do seu tempo e espaço, eles começam a analisar, sintetizar e aplicar regras. É a hora da matemática mais complexa e refletir especialmente o que aprenderam até agora. Aguentar! também começa o seu estágio mais exigente e rebelde, já que eles começam a questionar tudo que você instilou neles até agora.

Você pode ler mais artigos semelhantes a A maneira curiosa como as crianças raciocinam, na categoria Aprendizagem no local.