Valores

Quando os filhos mandam mais do que os pais em casa


Na sociedade de hoje, em cada vez mais lares, encontramos um mudança de papéis ou uma hierarquia invertida, onde quem manda em casa não é o pai nem a mãe, mas o filho. Essa mudança causa um problema de convivência, é fonte de conflitos e causa sérios problemas para nossos filhos no futuro.

Quando os filhos governam mais do que os pais em casa, a hierarquia familiar deve ser redirecionada.

As crianças são o foco da família, sua vontade vem primeiro, a rotinas diárias Giram em torno deles, as tardes são adaptadas às suas atividades, os fins de semana são planejados ao seu gosto e caprichos, a TV está sempre no canal infantil, as conversas são prejudicadas por elas, as férias são adaptadas às crianças, até os menus são condicionados por eles.

Nosso filho percebe que a vida em casa gira em torno dele, que ele é o protagonista de sua própria história. Sua vontade vem primeiro, eles de alguma forma impõem sua lei.

Estamos diante da “Síndrome do Imperador”, essa síndrome atinge muitas crianças hoje. Uma mudança está ocorrendo na estrutura familiar, um alteração de papéis, em vez de serem os pais que carregam a autoridade, são os filhos que "tomam as rédeas" do dia a dia

Por que essa hierarquia invertida é um problema sério? Que consequências isso tem para o futuro da criança?

A autoridade no lar cumpre uma trabalho educacional de vital importância para o seu futuro, para treinar pessoas independente, autossuficiente e socialmente aceito. Falamos de uma autoridade formativa, para educar no respeito.

O autoridade e amor fraternos têm que andar de mãos dadas, eles estão ligados. Autoridade não é sinônimo de poder, não temos poder sobre as crianças, mas autoridade sobre elas, que nos é concedida a educar e orientá-los até a maturidade. Definir adequadamente os papéis na família e fazer com que cada um desempenhe o seu fará com que eles superem o estágio egocêntrico pelo qual a criança passa.

É uma forma de ensinar entender a sociedade onde vivemos, onde a hierarquia desempenha um papel importante. Se você internalizar os papéis e hierarquias em sua família, será fácil para você transferir o que aprendeu para sua vida adulta juntos.

Para que haja um equilíbrio familiar, deve haver um estrutura hierárquica sólida, o adulto orienta a criança e a criança isso lhe dá segurança e confiança.

Como podemos redirecionar a hierarquia familiar? Como podemos assumir os papéis que correspondem a cada um de nós? Como podemos ajudar nosso filho a superar seu egocentrismo?

1- Precisamos trabalhar a empatia neles, ou seja, nos colocarmos no lugar dos pais, dos irmãos. Contando a eles nossas necessidades, desejos, sentimentos, como foi nosso dia.

2- Ensine-os a tolerar e controlar suas frustrações, explicando que nem sempre você pode fazer o que quer, quando quer. Essa frustração o ajudará a superar seu egocentrismo.

3- Agende alguns regras de coexistência e que todos devem respeitá-los.

4- Estabeleça alguns rotinas que os pais irão dirigir e guiar, não os filhos. Isso lhes dará segurança e confiança no dia a dia.

5- Combine entre todos como vamos aproveitar o tempo livre em família, cada um contará aos outros seus desejos e vontades, cada vez que for feito o plano escolhido por um. Então, vamos ensiná-los saber como se conformar e ceder.

Hierarquias e funções vêm dado pela natureza inatamente (Na matilha há um líder que orienta os outros e eles se sentem protegidos por ele, transmite segurança para eles). A natureza é muito sábia, vamos aprender com ela.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Quando os filhos mandam mais do que os pais em casa, na categoria Conciliação familiar in loco.


Vídeo: COMO LIDAR COM PAIS CONTROLADRES. PABLO MARÇAL #FAMILIA #PAIS #FILHOS (Outubro 2021).