Valores

Violentômetro para medir a violência contra crianças


Existem dois tipos de pais: os que acham que qualquer agressão do filho (física ou verbal), mesmo em legítima defesa, é errada e os que acham que depende do contexto e da 'história'. Quer dizer: aqueles que rejeitam completamente qualquer tipo de violência e aqueles que aceitam 'alguma violência' como defesa. No entanto, aqui vem a pergunta: quanto é 'violência aceitável'? Em que ponto começamos a nos preocupar?

Aqui está um sistema de orientação para saber se seu filho é muito agressivo. É um medidor violento para mediar a violência contra crianças.

Algumas crianças são mais violentas do que outras. Isso é fato. Bom porque eles não controlam suas emoções de forma adequada, porque têm problemas externos, porque precisam chamar a atenção ... Existem muitas causas que tornam uma criança mais agressiva. Seus pais costumam perguntar: quando isso é preocupante? Em que momento preciso pedir ajuda aos especialistas?

Com esta tabela, um medidor de violência para medir a violência infantil, explicamos como você pode se orientar e descubra se seu filho precisa urgentemente de ajuda para melhorar seu comportamento. Lembre-se de que é uma diretriz e que apenas um especialista poderá determinar no final como você pode ajudar seu filho a controlar suas emoções corretamente. Estes são os diferentes graus de violência que podem ocorrer em crianças:

1. A violência está presente e vai aumentar. A violência geralmente começa com pequenos gestos e de forma sutil. De repente, a criança, ainda pequena, levanta a mão para o pai, e ele fica paralisado, sem reagir. A criança decide que pode repetir. Ninguém o deteve. É hora de deixar as coisas claras e repreender a criança por essas ações. Este estágio é caracterizado por:

- A criança usa piadas e palavras ofensivas para outras crianças.

- Usa mentiras com maestria. Ele pode acusar outra criança de sua 'travessura' e escapar da punição.

- Começa a ignorar ou 'ficar em branco' outras crianças.

- Atira objetos em casa, tem acessos de raiva violentos quando está com raiva.

- Gosta de controlar a situação e rodear-se de outras crianças que o seguem como líder.

- Fica extremamente irritado, mesmo com coisas que não deveriam provocar essa reação. Por exemplo, se você pedir a ele para fazer as malas, ele pode mostrar 'aborrecimento' e reclamar, mas se gritar, chorar, chutar ... sua raiva é excessiva.

- Ameaça outras crianças e é capaz de ridicularizá-las na frente dos outros.

- Proibir outras crianças de fazerem coisas. Eles acreditam que têm poder suficiente para impor regras até mesmo aos pais.

2. Seu filho precisa que você reaja com urgência e o ajude. Quando seu filho começa a dominar em casa, a 'intimidar' seus pais, ocorrem todas estas circunstâncias:

- Ele é capaz de quebrar objetos pessoais de seus pais ou de outras crianças para 'prejudicar'.

- Constantemente agride outras crianças e diz que está 'brincando'.

- Seus jogos são agressivos. Sempre acaba machucando outra criança.

- Ele gosta de empurrar e bater nas outras crianças. Você recebe inúmeras reclamações de outros pais ou da escola.

- Tente isolar outras crianças.

3. Seu filho precisa da ajuda de um especialista. Quando você não consegue controlar esta situação, é hora de pedir ajuda urgente a um especialista. Preste atenção a estes sinais:

- Já ameaçou outras crianças (ou seus pais) com um objeto que poderia machucar. Até uma faca.

- Lança ameaças de morte a outras crianças.

- Intimidar ou assediar outra criança.

Identificar o grau de violência em uma criança é muito importante. É a única maneira de interromper comportamentos que podem atrapalhar sua vida (e a de outras pessoas) com o tempo.

O ideal seria não chegar ao ponto dois do medidor de violência. Quão? Antes dos primeiros jogos violentos de seu filho, você deve sempre ser claro sobre uma coisa: ensine-lhe a diferença entre jogo e dano.

- Ensine seu filho a brincar sem usar violência.

- Não o deixe continuar brincando com outras pessoas se ele causar danos outras crianças. Explique a diferença entre brincar e machucar.

- Procure exercícios que o ajudem a canalizar melhor suas emoções, como a atenção plena. Aposte em exercícios ejogos que ajudam seu filho a relaxar.

- As crianças mais violentas realmente sentem muito sofrimento. Você deve tentar encontrar a origem dessa angústia para encontrar a solução.

- Fortaleça a auto-estima de seu filho e tente melhorar sua tolerância à frustração.

- Nunca grite com ele ou seja violento com seus atos de violência. Ele tem que ver calma e bom senso em você. Você é o exemplo deles. Se antes de um de seus ataques agressivos você se mostrar calmo e tentar transmitir calma, então você pode conversar com ele e explicar por que isso é mau comportamento.

- Elogie o bom comportamento de cada um. Se ele se acalma, expõe suas preocupações ou depois de um 'acesso de raiva', ele calmamente reflete e percebe seu erro.

- Evite gatilhos. Isto é: se você sabe que seu filho pode ficar furioso quando você diz a ele para parar de brincar, use um 'aviso'. Geralmente funciona: 'você tem 10 minutos restantes para desligar o console'. Ele protestará, mas não chegará à crise de raiva. Quando você disser que os 10 minutos acabaram, eles protestarão novamente, mas você evitará um 'acesso de raiva'.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Violentômetro para medir a violência contra crianças, na categoria de Educação Presencial.


Vídeo: COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES. SÉRIE SAÚDE BRASIL (Outubro 2021).