Valores

Como reconciliar filhos e casamento


O que acontece nas famílias hoje? Muitos estão se separando e outros estão apenas se segurando e sobrevivendo. E nos perguntamos por que isso está acontecendo. Quais são as causas? Alguns casais acham que é devido à falta de contato, outros às muitas horas de trabalho, ao distanciamento, e outros à responsabilidade e compromissos com os filhos. Ainda assim, o tópico não pode ser generalizado. Cada família é única. A convivência é uma questão de dois e você tem que saber manter o respeito e o carinho.

O família surge da consolidação de um casal. Primeiro, os jovens se encontram e se apaixonam. Nesse período, eles se comunicam, falam sobre seus projetos, preocupações, ideias e ideais, seus desejos profundos e também seus medos. Um dia eles decidem se casar e constituir família. A saúde do casal, ou seja, seu modo de viver, sempre determinará o bem-estar da família e dos filhos. Se o casal estiver desestabilizado, isso se refletirá na família.

Em muitos casos, a chegada dos filhos aumenta certas dificuldades, que agravam a relação do casal por diversos motivos:

- Aumento de responsabilidades. Assumo a responsabilidade por um filho até que ele possa assumir a responsabilidade por si mesmo.

- A exaltação da maternidade. A mulher deixa de ser esposa e passa a ser apenas mãe; o pai pode se sentir deslocado.

- Desenvolvimento de maternidade e carreira. Coincidência do momento da maternidade com o momento do desenvolvimento profissional. Exige que nos voltemos mais para o trabalho.

- Critérios educacionais diferentes. A mãe e o pai não conciliam esses critérios e isso acaba gerando atritos ou distanciamento entre o casal.

- Menos tempo para o casal. Os filhos geralmente requerem mais atenção do que o normal e isso significa que os membros do casal têm menos tempo para estarem juntos.

- Problemas econômicos. As dificuldades para fazer face às despesas também influenciam a relação, bem como a pressão das famílias políticas, o excesso de trabalho fora de casa, a ambição de conseguir um emprego melhor, um salário melhor, etc.

De acordo com alguns estudos, uma das diferenças mais importantes entre casais que se dão bem e outros é a profundidade da comunicação. Com o tempo, a comunicação do casal se torna fraca e empobrecida. Não se pode ignorar que somos duas pessoas diferentes, com diferentes necessidades, preocupações, desejos e medos.

É difícil para nós reconhecer e aceitar o outro como ele é. Diante dessas dificuldades, muitas vezes ficamos quietos e é aí que começa a deterioração na comunicação. Uma coisa é certa: um casal, por mais tempo que vivam juntos, nunca deixa de se conhecer. Um relacionamento profundo depende de:

- Uma maior profundidade no comunicação.

- Uma necessidade maior de melhorar nossa capacidade de ouvir, de entendimento, de se colocar no lugar do outro.

- Um melhor linguagem não verbal. Ações falam mais alto que palavras. Algum dia nossos filhos terão seu próprio parceiro e encontrarão dificuldades semelhantes às que enfrentamos hoje.

É preciso refletir e o casal deve se perguntar: conseguimos ensiná-los ou transmiti-los como resolver seus problemas de relacionamento, preparámo-los para superar suas dificuldades? A resposta estará no núcleo familiar de hoje, no exemplo que damos a ele todos os dias. Portanto, não podemos nos contentar em ser um casal medíocre. O bem-estar de um casal é uma construção diária, e de DOIS.

Fonte consultada:
Conferência Como viver com seus filhos e que seu casamento não morra tentando, Susana Pradera e José Luis Mata, da Asociación Encuentro Matrimonial

Você pode ler mais artigos semelhantes a Como reconciliar filhos e casamento, na categoria Conciliação familiar in loco.


Vídeo: Quer ter seu ex de volta? Veja este vídeo e faça a coisa certa! I Fábio Teruel (Outubro 2021).