Valores

Como a fadiga mental afeta as crianças


O cansaço mental ou esgotamento psicológico existe e não é sofrido apenas pelos adultos. Muitas crianças também são vítimas deste tipo de fadiga, por vezes mais incapacitante do que física.

Além disso, é um badejo que morde o rabo, porque o cansaço mental nos enfraquece fisicamente. É assim que a fadiga mental afeta as crianças e como podemos ajudá-las.

As crianças que estão mentalmente cansadas não interagem com o ambiente de maneira ideal. Com certeza, uma mente cansada, exausta ou psicologicamente fatigada responde aos estímulos ao seu redor de uma maneira diferente. Crianças que estão emocionalmente cansadas se sentem muito mais vulneráveis ​​e interpretam o que acontece com elas em suas vidas diárias de uma forma muito mais negativa.

Estes são alguns sinais que podem nos alertar de que a criança está psicologicamente exausta:

- Parece estar sem força, sem energia.

- Você tem distúrbios do sono.

- Tem transtornos alimentares.

- Mostra sinais claros de ansiedade.

- É irritável.

- Humor deprimido.

- Não mostra interesse em fazer atividades que gostava e com as quais se divertia.

- Parece desmotivado ou apático.

- Ele parece não ouvir com atenção, ele está confuso.

- Tem tempos de reação mais lentos, parece "estar na babia".

É muito simples! As crianças estão psicologicamente exaustos quando eles têm que lidar com muitas tarefas ou obrigações por um longo período de tempo. Normalmente, a fadiga mental é o resultado de "muitas exigências" e "alguns momentos de descanso ou diversão".

Muitas vezes as crianças não estão cientes de que levar adiante tantas atividades e / ou tarefas é superá-las emocionalmente. Mas, pais, devemos estar cientes de que as crianças também se cansam mentalmente, por isso é fundamental evitar a carga de trabalho excessiva e dar-lhes tempo para o lazer, o descanso e a diversão.

- Respeite os horários: É necessário manter um horário regular para que o caos não se instale e a criança siga uma determinada ordem no seu dia a dia. O tempo gasto dormindo, tomando café da manhã, comendo, fazendo um lanche e jantando deve ser sagrado. É importante que a criança possa realizar essas atividades com tranquilidade. E, claro, deve ser dada prioridade, pois são necessidades básicas que, se negligenciadas, podem prejudicar a saúde física e mental da criança. Nada pode alterar a hora de comer ou dormir. Durante as horas de comer ou dormir, nada mais do que isso deve ser feito.

- Tempo de lazer: Praticar um hobby durante a semana que a criança escolheu expressamente pode ser uma ideia muito boa. Isso o ajudará a se desconectar das atividades e obrigações mais rotineiras para mergulhar em uma atividade pela qual você é apaixonado e de que gosta.

- Tempo de descanso: Ter um intervalo durante o dia é de vital importância. A criança também tem o direito de nem sempre realizar atividades produtivas. É necessário que a criança tenha tempo para se acalmar assistindo um pouco de televisão, brincando, lendo um livro, desenhando, ouvindo música, deitada na cama ou no sofá, etc.

- Pratique exercícios físicos: O esporte é um grande aliado se o que queremos é que a criança tenha calma e administre de forma adequada as demandas do dia a dia. O exercício físico ajuda a aliviar a tensão e melhora o humor, deixando a criança mais calma e até mesmo ajudando a adormecer com mais facilidade à noite.

Muitas vezes nos sentimos mentalmente cansados ​​quando as exigências do dia a dia nos ultrapassam. Mas, devemos ter em mente que isso também acontece com as crianças. E, não podemos esquecer que o “urgente” (obrigações, afazeres domésticos, atividades extracurriculares, etc.) não pode nos fazer perder de vista o que é realmente “importante” (ser feliz e tranquilo, em paz).

Você pode ler mais artigos semelhantes a Como a fadiga mental afeta as crianças, na categoria Aprendizagem no local.


Vídeo: Participation. Egmar Longo. DMCN Portuguese Podcast (Dezembro 2021).