Valores

Crianças e acesso à Internet


O acesso das crianças à Internet também deve fazer parte da educação dos pais. Educar é mostrar, ensinar, instruir, preparar, não é esconder nem esconder. Uma boa educação gera confiança e respeito; do contrário, sem orientação e limites claros, só se cria desconfiança no ambiente familiar.

Nesse caso, refiro-me ao acesso das crianças à Internet, questão que preocupa muitos pais e que, em muitas ocasiões, não sabemos como controlar porque não temos referências na própria infância.

Desde o momento em que nascem, a maioria das crianças é controlada “com uma lente de aumento” pelos pais. Eles são instruídos a não falar com estranhos, e tudo o que fazem quando jogam, o que assistem na televisão, o que comem, é controlado. Como qualquer outro meio de comunicação, A Internet é uma ferramenta que tem seus prós e contras, isto é, coisas boas e ruins. Mas é inevitável que as crianças acessem a Internet, faz parte do seu desenvolvimento social e educacional.

A conexão oferece recursos como notícias, bibliotecas, valiosos materiais didáticos e de treinamento, além de serviços de entretenimento e comunicação muito úteis para as crianças, sem que elas tenham que se deslocar. É muito confortável, mas muitas vezes essa praticidade cobra seu preço.

Todo este mundo virtual, imediato e fascinante pode gerar uma criança compulsiva, nervosa e viciada, se não houver limites e supervisão de um adulto. Além disso, os acessos de crianças não podem ser subestimados. Na web você também pode encontrar conteúdo e materiais gráficos não adequados para crianças. Sexo, violência, drogas ... Portanto, é necessário que alertemos nossos filhos sobre esses perigos e limitemos o seu acesso de alguma forma.

O bom uso da Internet pode ser alcançado por meio de alguns bons conselhos:

1- O computador deve estar em uma área compartilhada pela família.

2- deve estabelecer horas de uso do computador e Internet.

3- Compartilhe alguma atividade na Internet com as crianças.

4- Ensine as crianças a proteger suas senhas.

5- Estimula o espírito crítico e a intuição das crianças.

6- convencer seu filho de que ele não deve escrever sua idade, telefone, endereço ou postar fotos em qualquer ferramenta ou endereço de Internet.

7- Consulte frequentemente o histórico de navegação.

8- Atualizar programas de segurança e ativar sistemas de controle dos pais que bloqueiam o acesso de crianças a determinados conteúdos, controlam seu tempo de uso e registram suas atividades.

9- Aconselhe seu filho a não aceitar contatos ou responder e-mails de pessoas que não conhece, por mais agradáveis ​​que possam parecer.

10- Relate qualquer situação suspeita. No Protégeles você pode fazer uma reclamação online.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Crianças e acesso à Internet, na categoria Novas Tecnologias no site.


Vídeo: Educadores usam criatividade para crianças sem acesso à internet (Dezembro 2021).