Valores

Você tem burnout ou síndrome de burnout?


Que mãe nunca se sentiu exausta, desesperada, estressada, sobrecarregada ... à beira de explodir? Educar e cuidar dos filhos pode fazer com que a mãe fique física e emocionalmente sobrecarregada, especialmente se ela passar o dia todo com eles. Essa sensação já tem nome, se chama síndrome de burnout ou cuidador. Tinha sido aplicado normalmente ao trabalhador queimado, mas cada vez mais é usado para se referir ao estresse de mães e também de pais.

O redemoinho não tem fim E qualquer mãe e pai sabe que multitarefa faz parte da rotina diária desde a primeira hora da manhã. Somos como a deusa Shiva, temos mãos para tudo: com uma mão lavamos, penteamos e vestimos, com a outra preparamos o café da manhã e ajudamos a comê-lo, a terceira é preparar tudo o que é necessário para a escola e não esquecer a quarta, que é aquela que os alinha em frente à porta no horário indicado. Todos chegam brilhantes e bem preparados para a escola, mas você chega no trabalho e percebe que se esqueceu de pentear o cabelo ou está de camisa do avesso.

Como podemos não nos sentir queimados quando não temos tempo para nós mesmos? Às vezes, todas as tarefas relacionadas aos filhos, casa e trabalho não nos deixam nem um minuto livre por dia. Nem mesmo por aquele momento de devaneio repentino que invade todo ser humano. Pois não! Quando já te imaginas a apanhar sol na praia enquanto a brisa do mar te acaricia, ouve-se uma voz: 'mamaaaaaaaa, o pedrito bateu-me.

A síndrome de burnout passa por: isolar-se socialmente do seu ambiente, ter dificuldade em se concentrar, dormir mal, perder o interesse por coisas que antes o enchiam, sentir estresse, ansiedade, mudança de apetite, ter uma sensação de desamparo ... eu não acho que é necessário dizer mais, sim pais e mães são queimados, E o que fazemos para resolver isso?

- DelegadoR: é a palavra-chave, que somos heróis e heroínas já é um fato, claro!, Mas também não é preciso exagerar. Pedir ajuda não é sinal de fraqueza e pode aliviar nossas tarefas diárias. Deixar avós, tios, amigos ou cuidadores cuidarem das crianças por um tempo um dia ou uma semana para ter tempo é essencial.

- Manter o contato: o isolamento social não é nada positivo. Agora com a tecnologia não é difícil bater um papo, mesmo que seja virtual, com nossos velhos amigos. Mas se também podemos deixar as crianças com alguém próximo para um café, isso supõe uma recarga incrível das baterias.

- Reserve um tempo para você: ser mãe ou pai não significa deixar de ser pessoa. Tente economizar tempo, por menor que seja, para aquele hobby favorito, seja ler, fazer ioga ou dar um passeio na chuva.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Você tem burnout ou síndrome de burnout?, na categoria Ser mães e pais no local.


Vídeo: MEVAM OFICIAL - FÓRUM SÍNDROME DE BURNOUT Setembro amarelo (Outubro 2021).