Valores

Primeiro contato do bebê com a água


O primeiro contato do bebê com a água deve ser especial para ele e seus pais. Eles são os únicos que podem lhe dar a segurança e a confiança de que você precisa para se adaptar a um novo ambiente familiar. Cruz Lobo Sanz, monitora de Educação e Atividades Aquáticas Infantis da Piscina Baby Swim, nos revela nesta entrevista quais são os segredos para uma boa adaptação do bebê ao meio aquático.

Como deve ocorrer o primeiro contato do bebê com a água?
O primeiro contato com a água deve ser por meio de brincadeiras, pois os bebês ainda não entendem o que vamos fazer. Não podemos mandar um bebê trabalhar porque tudo em sua vida é para brincar. Com a intervenção do pai ou da mãe, é mais fácil ensiná-los.

É muito importante que os pais entrem na piscina com eles, porque os bebês não te conhecem primeiro e você tem que ter o apoio dos pais. Além disso, é conveniente ensinar os pais para que quando forem à praia ou à piscina possam continuar praticando mergulhos, saltos ... e evitar, muitas vezes, movimentos bruscos que não são recomendados para crianças dessas idades. Na água, tudo deve ser tranquilo e tranquilo, com muito relaxamento, tranquilidade, paciência e segurança dos pais.

Qual a melhor forma de colocar a criança na água, molhando-a aos poucos ou mergulhando-a de uma vez?
Quando começamos, pegamos, abraçamos carinhosamente, com a mãe ao lado e os apresentamos aos poucos deitando água sobre eles. Se a criança não chorar, colocamos o material diretamente sobre ela, e se ela chorar naquele dia agimos diferente, não colocamos material sobre ela, vamos brincar e deixar que ela se familiarize, sem pressa. O risco que corremos é que a criança comece a temer a água no primeiro dia. Portanto, o contato com a água deve ser feito aos poucos, com mimos, palavras doces e brincadeiras.

Os bebês com mais de um ano têm alguma vantagem na hora de se familiarizar com a água?
Colocamos sobre eles o mesmo material, embora seu progresso seja mais rápido por serem mais velhos, pois sabem andar e movimentar os braços. Um bebê com 5 meses, além de adquirir a posição fetal sempre com as perninhas no peito, terá mais dificuldade para alongar. Em contrapartida, os de 17 meses já sabem andar e seu progresso é mais rápido. Porém, sempre depende muito da criança e dos pais.

O que devemos fazer para ganhar a confiança dos bebês?
Para que os pais confiem em você, é importante que vejam que você está preparado. O principal é que a criança esteja tranquila. É normal que, no começo, chorem porque é tudo novo, o material, a água, o monitor, até, às vezes, tem muito barulho.

Aos poucos, vamos colocando o bebê na água, enquanto brincamos com ele. Mais tarde, o pai deixa isso para que ele te conheça e tenha confiança em você. No início, você faz os exercícios e depois ensina os pais como fazê-los.

O que devemos levar em consideração ao fazer os mergulhos para o bebê?
Os primeiros mergulhos devemos fazer nós mesmos. Então, podemos ensiná-los aos pais. Tem hora que engolem um pouco de água, é normal, mas quanto mais mergulhos fazem, nem sempre no mesmo dia, mais aprendem. O normal são três ou quatro mergulhos por dia, dependendo também um pouco da criança, e apenas um, se ela engolir água e começar a reclamar, porque não queremos que ela tenha o hábito de mergulhar.

A técnica que usamos para alertá-los sobre um mergulho é soprar um pouco na cara deles primeiro. É assim que eles se preparam instintivamente. O mergulho é muito importante para a sobrevivência na água. Se o bebê estiver pronto para o mergulho, ele fechará a glote sozinho e não engolirá água.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Primeiro contato do bebê com a água, na categoria de natação presencial.


Vídeo: Como fazer o bebê tomar água (Outubro 2021).