Valores

A importância de empurrar corretamente no trabalho de parto


Uma das coisas que as mulheres mais procuram nas aulas de pré-parto é aprender a empurre corretamente na entrega; já que durante a fase de expulsão o papel dos empurrões maternos são essenciais para que o bebê possa descer pela pelve materna e sair.

Empurrar é a força que a mãe usa para empurrar o bebê pelo canal do parto. É um ato reflexo enquanto a mulher está vivendo o trabalho de parto sem peridural, com a qual nesses casos sempre são feitas corretamente, já que sem anestesia e desde que a gestante se mova livremente, e adote a posição que pede ao corpo na maioria dos casos, o nascimento é fisiológico.

Neste caso, falaríamos sobre empurrão espontâneo, em que a mãe sente a necessidade de empurrar no momento certo, da maneira certa, na direção certa e com a intensidade certa.

No entanto, a generalização do uso de Anestesia peridural Faz com que em muitas ocasiões a mulher não sinta aquelas necessidades de empurrar, não saiba para onde dirigir o empurrão e nem mesmo possa exercer a força necessária para ajudar seu bebê a nascer.

Nestes casos, o profissional de saúde deve orientar a mulher (empurrão direcionado), que não sente a contração, quando iniciar e terminar o empurrão, para onde direcionar a força e às vezes podemos pedir para ela parar de empurrar.

Isso ocorre no final do parto, quando a cabeça do bebê está coroando pela vulva materna, e o profissional que atende o parto (parteira ou ginecologista) determina que o períneo está apertado demais para não rasgar se a mãe continuar a empurrar com ele. muita força; É então que tentamos eliminar a força do empurrão, deixando apenas a força da contração e da gravidade para ajudar a cabeça do bebê a sair.

O objetivo dos impulsos espontâneos e direcionados é o mesmo. No entanto, as evidências científicas apontam que a atuação sistemática da segunda altera a fisiologia do parto, pois aumenta a probabilidade de intervenção em saúde com episiotomias instrumentais e representa um risco real para o períneo da mulher, podendo causar lesões que se traduzem em urinárias. , gases ou incontinência fecal; dor no períneo, coitalgia, prolapsos e outras disfunções.

Como dissemos antes, empurrar é um reflexo causado quando a cabeça do bebê repousa sobre uma área do períneo materno e, geralmente, a vontade de empurrar aparece com a contração; assim ambas as forças se unem, a força exercida pela mãe com o abdômen e a contração uterina.

Obviamente, a direção de empurrar é essencial e embora pareça óbvio, devemos direcionar nossa força para a vagina. É uma pena que as puérperas continuem a vir para a consulta dizendo que a parteira ou o ginecologista lhes disse que deveriam “empurrar como se quisessem cocô”; Já que, ao exercer tanta força em direção ao períneo posterior (em direção ao ânus), perdemos não só a eficácia, mas também aumentamos o risco de lesão perineal.

As contrações e a pressão abdominal são o "motor do parto" que ajuda o bebê a sair; o ideal seria realizar 3 impulsos em cada contração, seguido por um período de descanso entre as contrações em que a mãe e o bebê descansam.

Existem dois tipos de lances:

1. Empurre na expiração ou expiração (glote aberta): tomamos uma inspiração e, ao terminar, liberamos lentamente o ar enquanto ativamos o músculo transverso (imaginamos como se estivéssemos abraçando o bebê com o abdômen) e direcionando a força para a vagina.

2. Impulso de apnéia (glote fechada): a gente pega uma inspiração e depois de terminar fica com o ar dentro do pulmão, não larga; e na apnéia fazemos o push. É semelhante a fazer um crunch clássico, levando o queixo ao peito para manter a glote fechada e ativando o reto.

O empurrão pode ser praticado nas últimas semanas de gestação, para ter confiança no dia do parto; treinar os músculos abdominais e saber como executá-los corretamente. Normalmente trabalham nas aulas de preparação materna com a parteira; mas também podem ser praticados em particular no escritório, onde às vezes usamos dispositivos intravaginais que se inflam como um balão e se parecem com a cabeça do bebê.

Você pode ler mais artigos semelhantes a A importância de empurrar corretamente no trabalho de parto, na categoria de Entrega no Local.


Vídeo: CONTROLE DA DOR NO TRABALHO DE PARTO ATRAVÉS DA RESPIRAÇÃO. MELISSA MARTINELLI (Outubro 2021).