Escola

O erro de usar as atividades extracurriculares das crianças como babá

O erro de usar as atividades extracurriculares das crianças como babá


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Diga-me uma coisa, quantas atividades extracurriculares seu filho tem por semana? E quantos são de sua escolha? Geralmente acontece com mais frequência do que gostaríamos que meninos e meninas se vejam dia após dia em atividades extracurriculares, sem que sejam do seu agrado e sem ter tempo para passar um tempo no parque antes de chegar em casa. Por quê? Bem, por causa de como é complicado conciliar a vida familiar e profissional. Hoje falamos sobre erro de usar as atividades extracurriculares das crianças como se fossem babás.

Recebi recentemente um email da AMPA (Associação de Mães e Pais de Alunos). Antes de abri-lo, o título já prometia: o parque, o melhor depois da escola depois da escola. Como você já deve ter imaginado, o e-mail dizia que os pais deveriam estar atentos para não ocupar as tardes inteiras de nossos filhos com esta ou aquela aula extra, mas sim Idealmente, permitimos que você passe um tempo no parque depois da escola.

Esse mesmo pensamento é o que Úrsula Perona, psicóloga infantil e divulgadora, nos fez conhecer em a reunião #ConectaConTuHijo 'organizada pelo nosso site, a importância de não sobrecarregar os pequenos com centenas e centenas de atividades, algumas aulas às quais devemos agregar os deveres de casa que devem fazer ao chegarem em casa. Isso não se traduz em pressão, estresse e opressão para as crianças? Vale a pena que atividades complementares sejam boas e tragam benefícios para as crianças, desde que sejam do seu agrado e não cubram todas as tardes. No entanto, na maioria dos casos, o oposto é verdadeiro.

Segundo dados oficiais, cada vez mais crianças frequentam atividades extracurriculares e nas palavras de Úrsula Perona: 'As atividades extracurriculares devem ser um complemento à educação regulamentada como esportes ou música, uma atividade que deve ser divertida porque é um momento de lazer. A criança deve escolher para que não seja apenas mais uma imposição. ' E quando questionada sobre o número de horas que uma criança deve dedicar a essas atividades, ela responde: 'As recomendações dizem que as crianças não deve dedicar mais de 5 horas por semanaSão, no máximo, algumas atividades e muito melhor se uma delas for no fim de semana. Volte à pergunta que lhe fiz no início, com certeza agora você começa a ver tudo de uma maneira diferente.

Continuando com as palavras de Úrsula: 'Você não tem que preencher as crianças com atividades extracurriculares como se fossem babás para que nós, adultos, possamos fazer nossas coisas'. É então que sempre fazemos uma crítica construtiva do carinho. Matriculamos as crianças nas aulas depois da escola para que tenham mais conhecimento, melhor e mais sucesso na vida profissional. Ou talvez nos inscrevamos para que cheguem a horas ao trabalho ou simplesmente para poderem fazer as nossas coisas que não são poucas. Seja qual for a sua resposta, se ela se desviar de 'Eu matriculo meu filho nesta extracurricular porque ele gosta tanto', está errada.

Sobrecarregando as crianças com atividades de que elas realmente não precisam sozinhas se traduz em situações de estresse ou insegurança. As crianças desde o nascimento até a adolescência ou mesmo depois (não esqueçamos que infelizmente essa fase vem mais cedo a cada vez) são projetadas para brincar, mesmo enquanto aprendem. Depois da escola para brincar, aprender e se divertir? Sim claro. Mas nunca como babá.

Você sabia que há crianças que passam uma única tarde da semana no parque? Certamente sim, você já percebeu isso. Você vai procurar o seu filho na escola e tem pressa de segunda a sexta para levá-lo ao futebol, inglês, piscina, música ... Ou talvez ele tenha todas essas coisas na mesma escola e você só vai uma hora depois buscá-lo . Quando essas crianças brincam se estão cheias de atividades extracurriculares?

Vamos lançar alguma luz sobre tudo isso. De acordo com as recomendações de Úrsula, Idealmente, as crianças não devem ter atividades extracurriculares até passarem do estágio infantil. Uma vez na escola primária, uma ou duas por semana serão mais que suficientes, desde que seja do seu agrado, nunca por imposição dos pais ou dos seus horários de trabalho. O complicado, certamente você concorda comigo, é equilibrar o horário de trabalho para chegar na escola a tempo de procurar os pequenos.

E é assim, caro leitor, que deixando de lado a ideia de que as atividades extracurriculares são as melhores babás que podemos ver nossos filhos crescerem felizes sem estresse ou fardo. Merece a pena!

Você pode ler mais artigos semelhantes a O erro de usar as atividades extracurriculares das crianças como babá, na categoria Escola / Faculdade no local.


Vídeo: Estágio de Berçarista (Fevereiro 2023).