Lactância Materna

Descubra por que você tem cólicas quando amamenta seu bebê


A presença de cãibras é um dos desconfortos que muitas mulheres manifestam ao amamentar. Eles podem ocorrer em seus seios ou abdômen. Essa sensação de incômodo não deve ser confundida com dor persistente, nem deve ser negligenciada se outros sintomas forem observados, por isso é sempre importante estar atento. Hoje eu quero te dizer porque você pode ter cãibras durante a amamentação e, acima de tudo, por que ocorrem e quando você deve consultar um médico.

Sabemos que o corpo da mulher passa por mudanças normais desde a gravidez e se torna mais sensível devido às mudanças hormonais. A partir do nascimento do bebê, essas mudanças tornam-se mais visíveis, pois passam a produzir aquele valioso alimento para nutrir seu bebê, enquanto o corpo volta ao seu funcionamento original.

Essas mudanças são acompanhadas por sensações desconhecidas para as mães, que podem causar preocupações desnecessárias. Por isso, é importante que os conheçam e, sobretudo, saibam quando podem ser considerados normais e a que horas podem se tornar problemáticos.

A cãibra é caracterizada por ser uma contração de um músculo, por um curto período de tempo, que ocorre involuntariamente causando dor. Portanto, é uma dor aguda, semelhante a uma punhalada ou picada, que é sentida por alguns segundos.

As cólicas, assim como a maior parte dos desconfortos que ocorrem nas mamas durante o processo de amamentação, são completamente normais e temporários, fáceis de resolver quando abordados com um diagnóstico preciso e assim que os sintomas aparecem.

Quando você começa a produzir leite materno, ele se acumula entre as mamadas, de modo que os seios ficam um pouco mais inchados e ocorre tensão muscular que pode causar cãibras. Essa sensação está presente, em maior medida, durante os primeiros três meses de amamentação, embora algumas mães afirmem que durou até depois dos seis meses e, para outras, foram pequenas sensações indolores.

Para ajudar a aliviar as cãibras no peito, uma recomendação muito importante é não pular nenhuma alimentação, por mais incômoda que seja essa sensação ao amamentar, e isso é a secreção do leite descongestiona os músculos e faz você se sentir melhor.

Lembre-se também de alternar os seios nas fotos e variar as posições em que você amamenta. Além disso, você pode tomar banhos mornos, aplicar compressas quentes nos seios e massagear suavemente os seios.

Se a dor for persistente, durante e após a mamada, e você observar algum outro sintoma como obstrução ou dificuldade na saída do leite, mamilo irritado, queimação ou vermelhidão na mama, que estão gerando maior desconforto, você deveria ir ao médico para avaliar você. Ele vai descartar a presença de mastite, infecção que pode ocorrer no tecido mamário nessa fase, e vai indicar o tratamento adequado para superar esses desconfortos enquanto continua amamentando.

Por outro lado, as cólicas que ocorrem no abdômen são produto da liberação de hormônios gerados durante a lactação, principalmente a ocitocina, e que ajudam o útero a voltar ao seu estado normal no menor tempo possível. Também ajuda a reduzir o sangramento uterino após o parto, o que ajuda a prevenir a anemia. Portanto, também podemos considerar essas cólicas normais.

Nesse caso, algumas mães encontram alívio seguindo a recomendação de urinar com frequência, principalmente antes de iniciar a amamentação, pois como a bexiga está vazia, há menos pressão sobre o útero durante o tempo de amamentação e facilita sua contração. . Massagear suavemente a parte inferior do abdômen também é útil. Como no caso das mamas, se a dor for intensa e persistente, você deve consultar o seu médico, que indicará o tratamento a seguir para aliviar a dor.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Descubra por que você tem cólicas ao amamentar seu bebê, na categoria Amamentação Presencial.


Vídeo: Alimentos que dão cólica no bebê (Dezembro 2021).