Novas tecnologias

O celular não é tão ruim para as crianças e é assim que esse especialista explica


Hoje existe um grande debate em torno do uso que os menores fazem de telefones celulares e tablets. Por um lado, somos pais e professores a tentar a todo o custo não utilizar estes ecrãs e, por outro lado estão eles, as crianças, que não exigem mais tempo para passar o tempo a jogar um videojogo ou a uma aplicação. O celular é realmente tão ruim para as crianças? Quais são as vantagens de ter crianças se divertindo com esses dispositivos? Analisamos em detalhes os prós e contras das novas tecnologias com a ajuda de Álvaro Varona, especialista em apps infantis.

Como eu disse antes, é sair e ouvir mães e pais falando sobre o que seus filhos não querem nada mais do que brincar com telas. Todos concordamos que meninos e meninas deveriam ter algum tempo do dia de atividades não dirigidas ao ar livre, que deveriam ler, passar tempo com a família, praticar esportes e muitas outras coisas que você já conhece.

Agora, por que eles não podem passar um bom dia brincando com um celular ou tablet? Eles também não deveriam aprender a jogar um videogame ou um aplicativo? É claro que o videogame e o aplicativo precisam ser divertidos, mas também educacional, de acordo com a idade e com a oferta de valor agregado. Assim eles se divertem, aprendem coisas e os pais deixam de se preocupar.

O celular e o tablet são realmente tão ruins para as crianças? Esta é a pergunta que colocamos a Álvaro Varona, especialista em aplicações para crianças. E não só isso, mas entramos nos jogos mais na moda. Fortnite não tem benefícios para crianças? E o Angry Birds? Álvaro Varona responde a estas perguntas e dá-nos as chaves para que saibamos distinguir as aplicações e os jogos online que fazem bem aos nossos filhos.

Começamos falando sobre a palavra que vem à mente quando pensamos no uso que as crianças fazem das novas tecnologias. Vício. É aí que Álvaro Varona insiste que mais do que o vício é um anzol, o mesmo que nós adultos temos. Quanto tempo você passa olhando para o seu celular? Com certeza mais do que gostaria de reconhecer e com certeza também que olha muito para o seu celular com seus filhos ao seu lado. Mais uma razão para os mais pequenos também quererem manusear um dispositivo, não acha?

Vamos voltar ao problema do obstáculo; Meninos e meninas querem um celular ou tablet para curtir, essa é a primeira reflexão que devemos considerar. A tela é mais um jogo que eles podem acessar por um tempinho do dia, depois de fazerem a lição de casa e brincar no parque. É realmente tão prejudicial?

Álvaro Varona indica que é a partir dos 3 anos que as crianças podem assistir a tela por um tempo seja móvel ou televisão. Até essa idade, eles devem ser mantidos à distância, e mais, os criadores não projetam aplicativos antes dessa idade. O que acontece depois de 3 anos? Pois bem, podemos deixá-los brincar um pouco com estes aparelhos, estando sempre ao seu lado, escolhendo um jogo da sua idade e fazendo uma utilização correta e responsável.

É agora que temos que analisar o que há de bom no celular e, como não poderia deixar de ser, falar sobre videogame e aplicativos o torna um dos mais solicitados hoje. Quais são os usos positivos do Fortnite? Quais as vantagens do aplicativo Angry Birds para menores?

Em geral os aplicativos infantis são uma boa ferramenta para a educação das crianças. Álvaro afirma que estamos em um momento de transição exponencial em tecnologia e que é um grande avanço ter um mapa, uma enciclopédia, uma bússola na palma da mão ... Sem dúvida é uma novidade que devemos aproveitar para nossos filhos quer no campo da educação, quer no campo da diversão. Agora, outra coisa é o uso que é feito do dispositivo. Nem tudo vai. A chave é conhecer os sinais para identificar um bom aplicativo ou videogame:

1. Conheça o autor ou criador
Como posso saber se o que baixei é bom? Como você diferencia um bom livro de um que não é tão bom? Álvaro comenta que é preciso prestar atenção, como fazemos com um livro, na presença, do autor, da editora. A mesma coisa acontece com o Apps. “Seria interessante conhecer o autor do aplicativo específico. É assim que você encontra um aplicativo de qualidade. Aprenda e investigue para descobrir quem realmente vale a pena esses criadores e essas marcas”, explica o especialista.

2. Analise o jogo ou o próprio aplicativo
Por exemplo, o jogo Fortnite, embora possa parecer apenas sobre tiro, é na verdade um jogo muito comunicativo com um componente social muito poderoso no qual você também deve trabalhar em equipe. É ouvir as crianças e ver como é o jogo para decidir se é bom ou não. Por exemplo, você sabia que o conhecido aplicativo Angry Birds é ideal para falar sobre física? É um jogo divertido que também educa e explica conceitos de física.

3. Acompanhe as crianças
E a tudo isso devemos acrescentar que os pais devem acompanhar os filhos no uso dos aplicativos, não os deixando sozinhos e não permitir que comprem nada; assim, será possível fazer bom uso deles.

Se quiser saber mais sobre tudo o que nos contou o especialista Álvaro Varona, não perca o vídeo com a entrevista que deixamos um pouco acima. Ele nos deu muitas dicas para ensinar as crianças a usar bem o celular e nos deu as chaves para aprender a escolher os melhores aplicativos para os nossos pequenos.

Você pode ler mais artigos semelhantes a O celular não é tão ruim para as crianças e é assim que esse especialista explica, na categoria Novas Tecnologias no site.


Vídeo: INTESTINO, CONSTIPAÇÃO E PROBIÓTICOS (Dezembro 2021).