Relação de casal

Ter um filho não salva um relacionamento, embora muitos pais pretendam


Só existe uma razão para ter filhos: por amor. Amor ao seu parceiro, ao seu relacionamento ou porque você tem tanto amor, que além de dar a você e ao seu (nesta ordem), você pode dar amor a um filho. No entanto, quando as coisas não vão muito bem dentro do casamento, há quem resolva buscar a gravidez para mudar o relacionamento. Porém, ter um filho não salva um relacionamento, nunca, embora muitos pais (ou futuros pais) o desejem.

Muitos casais acreditam que ter um filho é um excelente motivo para salvar um relacionamento, e nada está mais longe da verdade. Amar não é uma tarefa fácil, embora possa parecer, é sobre nos conhecermos o suficiente para sabermos o melhor que podemos dar de nós mesmos, e muitos de nós não estamos nesse ponto.

Amar uma criança é uma tarefa para toda a vida. Amar é. Portanto, falamos de amor incondicional por nossos filhos. No entanto, o amor entre o casal às vezes não é tão simples, nem tão incondicional. E isso pode levar a conflitos e problemas. Ter um filho não os resolve, mas a melhor maneira é se preparar antes do nascimento para minimizar as chances de colisão.

Portanto, antes de ter um filho para tentar salvar um relacionamento, proponho alguns requisitos que todos devemos cumprir.

1. Faça a nós mesmos as perguntas certas
Antes de ter um filho, eu perguntaria: Você quer ter um filho? Ou melhor, a pergunta a se fazer é: Você quer ser mãe ou pai? Embora possa parecer o mesmo, na realidade não é. E existem diferentes nuances que podem fazer uma grande diferença; Outra forma de perguntar seria: Você quer querer? ou você quer criar? Pense bem antes de dar o passo à procura de um bebê.

2. Faça uma lista sobre a educação e educação que queremos
Outra coisa que eu faria seria colocar uma lista de coisas, no papel, que devem acontecer, SIM ou SIM, na educação do filho que você quer ter. É um documento onde, de forma clara e concisa, os pais irão especificar os valores a transmitir, os desejos de relacionamento com o filho, a forma de gerir as emoções, os conflitos, etc. Parece loucura, mas já te digo, que este trabalho, se falado aos pares, ou pelo menos pensado, evitará muitos problemas.

3. Combine como você reagirá quando houver um problema entre os pais
E eu não faria apenas um documento, mas dois. Porque também acho que seria importante ter uma lista de questões a levar em consideração, quando os pais não concordam sobre o que eles querem transmitir ao seu filho ou em situações que dão origem a conflito e os pais não concordam com o forma de atuar.

Como já disse, parece uma tarefa fácil, e é verdade que alguns pais possuem essas habilidades naturalmente, entretanto, há outros que precisam aprender. Se você puder antecipar possíveis eventos ou situações que podem dar origem a um conflito, mais fácil será monitorar o desenvolvimento e o crescimento de seu filho.

Então, de agora em diante, encontre momentos como um casal para atuar todas as listas ou protocolos possíveis continuar a tentar ter um bom conjunto de ferramentas e recursos que facilitem a convivência e o bem-estar familiar.

Aos meus amigos pais, pergunto: 'Se você nascesse de novo, teria filhos?' E nem todos respondem 'sim'. Deve haver uma razão…

Você pode ler mais artigos semelhantes a Ter um filho não salva um relacionamento, mesmo que muitos pais tenham essa intenção, na categoria Relacionamento in loco.


Vídeo: DIFERENÇA DE IDADE NO RELACIONAMENTO. Marcos Lacerda (Dezembro 2021).